• Todos por 1

Salvador: gastronomia além do dendê

A primeira capital do Brasil reserva sabores variados, muito além dos consagrados pratos com influências africanas, mais conhecidos pelos turistas. No início de 2019 o The New York Times colocou Salvador na 14ª colocação da lista “52 lugares para visitar em 2019”. A capital baiana foi a única cidade brasileira no ranking e a escolha tem motivo : a metrópole mudou muito e os viajantes estão redescobrindo Salvador. O tradicional continua lá, e isso inclui a culinária, conhecida pelos sabores fortes do dendê e influências africanas. Mas a cidade é pulsante, o moderno surpreende. A capital abriga restaurantes de comidas de todo o mundo, alguns deles reconhecidos internacionalmente, como o Soho. Nas cozinhas da cidade nascem pratos bem diversos do cardápio tradicional. Os sabores nativos também foram redescobertos e muitos ingredientes pouco explorados, hoje são estrelas dos menus.

Terra da cocada, a Bahia sempre abrigou doces rústicos. No Mercado do Rio Vermelho (Av. Juracy Magalhães Júnior, 1624) é possível experimentar dezenas de tipos de sobremesas dificilmente encontrados em outras regiões do país, como o doce de umbu, docinho e azedinho ao mesmo tempo. Os sequilhos produzidos no interior do estado também são destaque nos boxes do mercado, é possível comprar os biscoitos à granel ou apenas prova-los nas lojas mesmo.

O doce de umbu orgânico da marca Gravetero é um dos principais destaques e está dispopnível em diferentes formatos e texturas. Imagem: divulgação.

Na loja da marca Amma, é possível encontrar nibs de cacau e chocolate orgânico do sul da Bahia, produzidos artesanalmente e premiados em 2016 no Academy of Chocolate Award, em Londres. As barras de chocolates variam de 60% a 100% de cacau na composição, e estão disponíveis nas versões de 5, 25 e 100 gramas, e também uma caixa de viagem com 50 tabletes de 5 gramas.

A torta búlgara é encontrada em diversas confeitarias e não tem fermento na receita. Imagem: reprodução/Gshow

O grande destaque da confeitaria baiana é a torta búlgara. Sim, búlgara. É um bolo de chocolate sem fermento e servido com creme de leite. Mas pode ficar melhor, a confeitaria Viva Gula (Shoppings Barra, Salvador, da Bahia, Bela Vista, Paralela, Salvador Norte e Paseo Itaigara) tem uma versão da torta búlgara com camadas de sequilho.




Aproveite a visita ao Viva Gula e experimente também o pão delícia. De origem baiana, também pouco explicável, o pão tem massa muito leve e molhada, recheio de creme de queijo e parmesão ralado como cobertura. Em Salvador é possível achar pão delícia até mesmo nos supermercados e prova-los com diferentes recheios, como peito de peru, doce de leite, brigadeiro ou requeijão cremoso.

Ao que parece não é só a Torta Búlgara que tem um nome controverso. Um salgado frito muito popular, criado na Bahia, se chama boliviano. Consiste numa massa de mandioca, recheada com carne, pimenta e uva passa, envolta com açúcar. Parece esquisito, e é, mas não deixa de ser delicioso. Pode ser encontrado em lanchonetes e confeitarias, como a Perini (shoppings Barra, da Bahia e Salvador e na loja do bairro Graça).



A comida de rua também é rica e reserva grandes surpresas além do famoso acarajé. Salvador tem um comercio ambulante muito vivo e pode até assustar pela quantidade e diversidade de produtos vendidos nos ônibus, calçadas, passarelas, filas e semáforos. Um dos grandes destaques é o amendoim cozido com casca e salgado. Típico das festas juninas no Nordeste, na capital baiana é possível comprar saquinhos , pelas esquinas, a preços muito baixos, a partir de R$2.

Explorar a riqueza da gastronomia baiana contemporânea também implica em conhecer a Feira de São Joaquim. Com uma área total de 35.000m², a feira é o retrato mais fiel dos hábitos alimentares dos soteropolitanos. A primeira impressão do lugar pode assustar, por se tratar de um comercio muito popular e nada direcionado ao turismo, mas ali é possível provar frutas locais, conhecer mais sobre as plantas utilizadas no candomblé e comprar produtos artesanais a preços muito baixos. A Feira de São Joaquim fica na Avenida Engenheiro Oscar Pontes, S/N, no bairro Calçada, próximo ao terminal de Ferry Boats.


Por Rodrigo Dourado, baiano, radicado em Londrina, estudante de Jornalismo, estagiário do Todos por 1 no projeto Flanadores.